Com Bonde das Maravilhas e drag queens, Ceilândia realizou sua 10ª Parada LGBT; veja fotos

A chuva não tirou a animação do público que contou com apresentação da drag queen Priscila Quartier de São Paulo.

As drag queens Trinnity Sermansk, Fran Ferrari e Veronica Strass durante a 10ª Parada LGBT de Ceilândia. (Foto: Ernane Queiroz/Gay1)
As drag queens Trinnity Sermansk, Fran Ferrari e Veronica Strass durante a 10ª Parada LGBT de Ceilândia. (Foto: Ernane Queiroz/Gay1)
O último domingo, (25/11), milhares de pessoas participaram da 10ª Parada do Orgulho LGBT de Ceilândia na Praça do Trabalhador. O dia para os moradores da região administrativa começou chuvosa, mas a tarde ficou colorida.

A concentração foi adiada e às 16h o público começou a aparecer. Aos poucos a animação começou a contagiar o local. O evento contou com a presença de artistas locais, além da drag queen Priscila Quartier (SP) e o grupo Bonde das Maravilhas (RJ).

Os estudantes Luiza Fernandes, 15, Maycon Andrade, 16, e Thais Marinho, 19, já estavam animadas no local. Para os três, a manifestação é uma oportunidade de mostrar que, com visibilidade, amor e respeito, as mudanças podem ser percebidas.

“Não precisamos mudar quem somos para merecer respeito. O Brasil é um dos países com o maior número de mortes por intolerância sexual. Não queremos ser mais vítimas. Precisamos ser incluídos na sociedade como parte dela”, disse Maycon.

“Sou homossexual e sinto que aqui posso ser eu mesma. A importância de um evento como esse é mostrar que a diversidade existe. Ninguém aqui é monstro. Precisamos de mais amor e respeito”, disse a estudante Manuela Lima, 15.

O grupo carioca Bonde das Maravilhas foi a atração mais aguardada da 10ª Parada LGBT de Ceilândia. (Foto: Ernane Queiroz/Gay1)
O grupo carioca Bonde das Maravilhas foi a atração mais aguardada da 10ª Parada LGBT de Ceilândia. (Foto: Ernane Queiroz/Gay1)

Organizada com apoio da Secretaria de Cultura do DF e produzida pela Associação Ceilandense de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, a parada tem como tema “Por uma Ceilândia sem machismo, racismo, intolerância religiosa e LGBTfobia”.

“Esta 10ª edição da Parada LGBT de Ceilândia abraça causas que caminham juntas. Sabemos que essas questões estão ligadas e precisam ser colocadas em foco. Essa também é uma forma de mostrar que nossa luta é por uma sociedade melhor e se faz com a união de todas as vítimas de preconceito”, afirma Jonathan Perdono, presidente da ACLGBT/DF.

Confira as fotos:

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar