Caravana formada por LGBTs foi a 1ª a chegar à fronteira entre México e EUA

Dezenas de lésbicas, gays, travestis e transexuais afastaram-se da principal caravana com migrantes de países da América Central por conta da LGBTfobia.

Migrantes se reúnem na fronteira entre o México e os Estados Unidos. (Foto: Jorge Duenes / Reuters)
Migrantes se reúnem na fronteira entre o México e os Estados Unidos. (Foto: Jorge Duenes / Reuters)
Cerca de 400 migrantes chegaram nesta terça-feira (13) à fronteira entre o México e os Estados Unidos e alguns escalaram a cerca que divide os dois países sob os olhares dos agentes da patrulha fronteiriça americana. Eles planejam solicitar refúgio às autoridades americanas nos próximos dias.

Esse grupo, que inclui dezenas de lésbicas, gays, travestis e transexuais, afastou-se da principal caravana com migrantes de países da América Central, principalmente hondurenhos, que segue na direção da fronteira.

A grande caravana saiu em 13 de outubro de San Pedro Sula, em Honduras, e chegou a reunir cerca de 7 mil migrantes. A maior parte deles ainda permanece longe da fronteira, na região de Sinaloa, no oeste do México.

Esse primeiro grupo a chegar à fronteira fez uma parte do trajeto de ônibus até a região de Playas de Tijuana. De acordo com reportagem do “Washington Post”, o esforço cotidiano de viajar milhares de quilômetros a pé e pegar carona foi agravado pelo assédio ocasional de outros viajantes.

O hondurenho Erick Dubon, de 23 anos, vinha de San Pedro Sula com o namorado Pedro Nehemias, de 22 anos. Ele relatou ao jornal americano que foram vitimas de homofobia durante o percurso.

“As pessoas não nos deixavam entrar em caminhões, eles nos faziam entrar no fim da fila para tomar banho e nos chamavam de nomes feios” — Erick Dubon

Os migrantes devem solicitar refúgio às autoridades dos EUA em breve. Porém, a situação não é simples. Na última sexta-feira (9), o presidente Donald Trump assinou uma ordem que impede a concessão de refúgio para os migrantes que entrarem ilegalmente no país. A ordem também suspende por 90 dias a entrada de migrantes pela fronteira com o México.

Migrantes que chegaram à cidade de Tijuana (México) na terça-feira (13) observam patrulha na fronteira americana. Eles fazem parte de uma caravana com milhares de pessoas que tentam entrar nos EUA. (Foto: Jorge Duenes/ Reuters)
Migrantes que chegaram à cidade de Tijuana (México) na terça-feira (13) observam patrulha na fronteira americana. Eles fazem parte de uma caravana com milhares de pessoas que tentam entrar nos EUA. (Foto: Jorge Duenes/ Reuters)
Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar