Com novo percurso, Parada LGBTS de Taguatinga reivindica voto em candidatos apoiadores da causa

O evento é classificado a segunda maior manifestação social de Direitos Humanos e da cultura LGBTS da Capital Federal.

Em 2017, a Parada LGBTS de Taguatinga  reuniu cerca de 40 mil pessoas. (Foto: Ernane Queiroz/Arquivo/Gay1)
Em 2017, a Parada LGBTS de Taguatinga reuniu cerca de 40 mil pessoas. (Foto: Ernane Queiroz/Arquivo/Gay1)

“Tire seu voto do armário, vote LGBT” é o tema escolhido para a 13ª edição da Parada do Orgulho LGBTS de Taguatinga, com o intuito de reivindicar votos em candidatos que apoiam a causa nas Eleições 2018. Manifestação acontece no próximo domingo, 12, na Praça do Relógio a partir das 13h e faz parte da programação da Semana da Diversidade (Confira programação completa no final da matéria).

A escolha do tema, segundo Michel Platini, presidente do Conselho de Direitos Humanos do DF e representante da Aliança Nacional LGBTI em Brasília, se dá pela importância decisiva das próximas eleições e a esperança nela depositada pela comunidade LGBT.

Michel Platini coordenador da Parada LGBTS de Brasília e presidente do Conselho Distrital dos Direitos Humanos. (Foto: Ernane Queiroz/Gay1)
Michel Platini coordenador da Parada LGBTS de Brasília e presidente do Conselho Distrital dos Direitos Humanos. (Foto: Ernane Queiroz/Gay1)
“Os últimos anos foram duros para nossa comunidade. Estivemos lidando com diversos políticos que atrapalharam e retrocedem nossas pautas. Neste ano, aceitando a provocação da maior parada do mundo, que é a de São Paulo, estaremos divulgando a mensagem da necessidade de o voto ser LGBT, e não em branco, pois eles também influenciam nas contagens finais”, comenta Platini.

Michel, que também é representante e um dos coordenadores do evento, lembra também que uma reforma no Legislativo é essencial para que a comunidade continue avançando. “Não mudamos quase nada no Legislativo, apenas no Judiciário, porque as câmaras estão compostas majoritariamente por fundamentalistas. O Estatuto da Família, junto com o crescimento de candidatos de extrema direita e da bancada evangélica são exemplos de que precisamos nos unir, urgente, e formar um arco-íris na política brasileira, para conseguirmos mudar nossa realidade”, complementou.

13ª edição da Parada

Para 2018, a manifestação, que no ano anterior reuniu cerca de 40 mil pessoas, está repleta de novidades divididas em três trios elétricos. A edição promete uma abertura histórica com três grupos que dançam vogue formando um ballet com 40 dançarinos em performance exclusiva para a parada, que terá um novo percurso partindo da Praça do Relógio, seguindo pela Avenida Central, entrando na Samdu Norte, dando a volta pela QNE 24 e retornando pela Comercial Norte, finalizando no mesmo local de início.

Visando valorizar artistas LGBTs locais, foram convidados, para apresentações nos trios, diversos artistas como a drag queen Dakota Overdoze e a drag queen Lushonda, Pedro Qyevedo, o grupo Teen Royal e o grupo Girassol e os DJs Afronte, AfroBixas e Rey Torres.

Outra novidade é o segundo trio homenagear o grupo Mães Pela Diversidade, que é um coletivo de alcance nacional que oferece apoio para jovens LGBTs e mães e pais com dificuldades em lidar com a orientação sexual ou identidade de gênero de seus filhos.

Haverá também um espaço para falas, no primeiro trio, para representantes da militância LGBT, de ONG’s, coletivos, associações e ativistas dos Direitos Humanos, apresentarem suas falas políticas para o público. A inscrição deverá ser feita na hora a partir das 14h, na porta do primeiro trio. As falas estão previstas para aconteceram entre às 15h e 16h30.

Semana da Diversidade LGBT de Taguatinga DF. (Foto: Arte/Gay1)
Semana da Diversidade LGBT de Taguatinga DF. (Foto: Arte/Gay1)

Para mais informações acesse a página oficial da Parada no Facebook: https://fb.com/paradataguatinga

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close