Jean Wyllys anuncia sua pre-candidatura para o terceiro mandato na Câmara

Eleito como melhor deputado do Brasil, Jean é o primeiro ativista LGBT a ocupar uma cadeira no Congresso Nacional.

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) vai disputar pela terceira vez uma vaga no Congresso Nacional. Primeira pessoa LGBT fora do armário a ocupar uma vaga no legislativo, Jean teve onze vezes mais votos na sua segunda candidatura em relação a primeira.

Nas redes sociais, o deputado divulgou um evento de lançamento da pré-candidatura que será no dia 17 de maio no Rio de Janeiro.

Jean é o primeiro ativista LGBT a ocupar uma cadeira no Congresso Nacional, o deputado ingressou na Casa com a campanha mais barata entre todos os eleitos. Desde o início, seu mandato priorizou a defesa dos direitos humanos, das liberdades individuais e da cidadania das minorias e grupos históricamente oprimidos, como LGBT’s, mulheres, negros e negras, adeptos das religiões de matriz africana e o povo mais pobre. Depois de quatro anos de um mandato que recebeu prêmios e distinções nacionais e internacionais, inclusive como melhor deputado do Brasil (Prêmio Congresso em Foco), Jean foi reeleito como o sétimo deputado mais votado do estado do Rio e o quinto da capital, com quase 145 mil votos. Foi o deputado reeleito que mais aumentou sua votação, com a campanha mais barata entre todos os que se reelegeram.

É autor, entre outros, de projetos de lei sobre casamento civil igualitário, parto humanizado, mudança na política de reajuste do salário mínimo, legalização da maconha, cobertura do SUS para as doenças raras, legalização do aborto, identidade de gênero, direitos das estudantes grávidas e parturientes, fim da discriminação na doação de sangue, mudança no reajuste dos alugueis e nas condições para as garantias, direitos dos imigrantes estrangeiros, direitos das prostitutas, reformas à legislação penal e processual para diminuir o número de encarceramentos desnecessários, internet livre, escola sem censura e nem discriminação, laicidade do ensino público, etc.

Foi autor de uma provocação ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que, ao fim, estendeu a todo território nacional o direito ao casamento civil igualitário, conquistado no Brasil por decisão desse órgão depois de uma intensa campanha organizada pelo mandato de Jean.

Também impetrou ação no Supremo Tribunal Federal, através do PSOL, para denunciar a ausência de políticas públicas para evitar o bullying escolar contra crianças e adolescentes LGBT, e foi amicus curiae em uma ação na Corte Interamericana de Direitos Humanos que orientou todos os países da Organização dos Estados Americanos a garantir direitos para população LGBT, sobretudo quanto ao reconhecimento das suas identidades de gênero e ao casamento civil.

Foi uma das principais vozes a rejeitar categoricamente o processo de impeachment conduzido no Congresso por Eduardo Cunha para derrubar Dilma Rousseff, denunciando-o como um golpe contra a democracia, embora estivesse naquele momento na oposição de esquerda ao governo. Autor de um discurso emblemático e histórico na circunstância da aprovação do processo, ali também se tornou alvo preferencial de perseguições orquestradas por grupos fascistas e da extrema-direita. Sofreu ameaças de morte, viu a família ameaçada, teve o nome manchado por notícias falsas (fake news) e por redes de difamação que contaram inclusive com robôs e perfis falsos dos subterrâneos das redes sociais.

Nos últimos anos, foi mencionado duas vezes seguidas como parlamentar que faz a diferença no mundo para defesa da diversidade, na Global Diversity List, recebeu três vezes seguidas o Prêmio Congresso em Foco como melhor deputado federal, girou o Brasil em palestras e eventos políticos, foi convidado para falar na Universidade de Harvard e em outros importantes centros acadêmicos de diferentes países, destacou-se como parlamentar sulamericano no Parlasul e ocupou uma cadeira como professor-convidado no programa de pós-graduação em Infecção HIV/AIDS e Hepatites Virais (PPGHIV/HV) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

© Portal Gay1
Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar